5 POSSÍVEIS MOTIVOS PARA SUA DOR AO AMAMENTAR

0
674
Dor ao amamentar
5 POSSÍVEIS MOTIVOS PARA SUA DOR AO AMAMENTAR
4.3 (86.67%) 6 votes

Você por acaso está sentindo dor ao amamentar? Caso sua resposta for “sim”, é preciso compreender, antes de mais nada, que a amamentação não deveria lhe causar esse incômodo. Quando isso ocorre, é sinal de que há algo errado. 

Muitas mulheres acreditam que o aleitamento materno é uma tarefa simples de se fazer, que se resume apenas a dar o peito ao bebê. Leve engano! A expectativa versus a realidade pode ser um choque, especialmente para as mamães de primeira viagem. 

Em vista disso, a amamentação pode ser o céu e o inferno na terra: o céu porque essa fase é única e especial, um momento no qual o vínculo entre mãe e filho é fortalecido. O inferno, por sua vez, é porque a dor ao amamentar às vezes torna o processo quase que insuportável. 

A causa mais comum para o desconforto é a pegada incorreta, ou seja, o “mal encaixe” entre a boca do bebê e o peito materno. Essa dor é bastante característica e atinge somente o mamilo, que pode, inclusive, rachar e sangrar. 

Por essa razão, o primeiro passo é conferir se o pequenino está abocanhando o peito da maneira correta. De qualquer modo, neste artigo vamos apresentar outros 5 possíveis motivos para sua dor ao amamentar. Continue a leitura e confira! 

1. Produção de leite em excesso

Em alguns casos, produzir leite em abundância pode causar uma dor na parte interna dos seios, logo após o amamentar. Por isso, verifique, sempre, se a pegada do bebê ao peito está correta, como acabamos de mencionar. 

Contudo, não se preocupe muito com isso, já que a produção do leite se ajustará conforme a demanda do bebê, pelo menos é o que se espera.

Uma dica: se você realmente tiver “sobrando”, por que não doar esse excesso para os bancos de leite? Considere essa opção, pois muitas crianças precisam de um leite de qualidade mas infelizmente não o têm. 

2. Ingurgitamento

O ingurgitamento é uma condição que se caracteriza quando as células responsáveis pela produção do leite se distendem demais, dificultando sua descida e causando a dor ao amamentar.

Como consequência disso, seus seios ficarão cheios, duros e pesados, passando a impressão de que estão empedrados. Porém, não se assuste, esse acontecimento é temporário e de certa forma comum nos primeiros dias de amamentação, embora possa ocorrer a qualquer momento. 

Você só precisa ficar mais atenta caso apresente febre acima dos 38,5 graus Celsius, uma vez que isso pode indicar uma eventual mastite, problema no qual falaremos a seguir. 

3. Mastite

Semelhante ao ingurgitamento em alguns pontos, a mastite, no entanto, é um problema que pode se tornar mais grave caso você não tome o devido cuidado. Aqui, o que ocorre é a inflamação da mama, que resulta no entupimento dos dutos por onde passa o leite. 

Essa obstrução de passagem provoca o tal “leite empedrado”, que por sua vez causa a vermelhidão, o inchaço do local e claro, a dor ao amamentar. Não o bastante, a mastite normalmente vem acompanhada de febre acima dos 38,5 graus Celsius e cansaço generalizado.  

Além disso, é possível também que você presencie a saída de pus do bico do peito. Se isso vier a acontecer, prepare-se, pois sua dor ao amamentar será quase insustentável. Mesmo assim, é preciso ser forte e continuar alimentando a criança para evitar que o leite “estacione” dentro da mama. 

Outro aspecto que difere a mastite do ingurgitamento é que ela costuma afetar apenas uma mama, e não as duas.  

4. O reflexo da ejeção do leite

Talvez você sinta um pouco de dor quando os seios estiverem se enchendo para a próxima mamada. O reflexo da ejeção do leite, popularmente conhecido como “reflexo da descida” é justamente isso, sendo causado pela atuação do hormônio ocitocina.  

Essa substância incentiva a musculatura da mama a drenar o leite, como resposta à sucção do pequenino. No entanto, após alguns dias, o ocitocina será liberada quase sempre que você pensar no bebê, o que pode levar ao vazamento do leite.

Esse acontecimento pode ser diferente de mulher para mulher. Algumas experimentam uma leve dor, outras um formigamento, e há aquelas, ainda, que não se queixam de absolutamente nada. 

5. Candidíase

A candidíase, infecção provocada por fungo e que nesse caso é conduzida da boca do bebê para os seios da lactante, é mais um dos possíveis motivos para a dor ao amamentar. Se o agente por trás dessa infecção penetrar nos dutos de leite, o processo de aleitamento tende a se tornar um tanto quanto doloroso.

Geralmente, a dor resultante da candidíase é persistente, ou seja, é experimentada durante toda a mamada, podendo ficar ainda pior após o término. 

Nesse caso, será preciso fazer o uso de medicamentos para resolver o problema. Por ser uma doença sexualmente transmissível, o ideal é incluir o parceiro no tratamento também. Portanto, mãe, pai e bebê devem ser tratados. 

Em relação aos sintomas da candidíase, os mais comuns são: mamilos doloridos, rachados e avermelhados. Além desses, pode ser que você sinta um pouco de ardência.  

O que fazer para aliviar a dor ao amamentar?

Agora que você já viu os prováveis motivos para sua dor ao amamentar, deve estar se perguntando o que fazer para aliviá-la, certo? Pois bem, para começar, saiba que as técnicas de respiração utilizadas no pré-natal podem ajudar bastante.   

Em caso de ingurgitamento, por exemplo, é natural que o pequenino tenha uma certa dificuldade para sugar o peito. Aqui, a orientação de muitos profissionais é fazer uma leve massagem seguida da ordenha manual.

Contudo, se você quiser ordenhar o leite com o auxílio de uma bombinha, tudo bem. Após fazer isso, “enfie” praticamente toda a aréola na boquinha dele: a pegada correta do bebê ao peito é importantíssima! 

Por fim, se a dor ao amamentar não apresentar melhoras em alguns dias, procura ajuda especializada. O hospital ou maternidade onde você teve a criança, um banco de leite ou até mesmo os postos de saúde, podem lhe ajudar. É fundamental ter uma avaliação afim de detectar problemas mais sérios, como o caso da mastite.  

Enfim, o que você achou do nosso artigo sobre os possíveis motivos para a dor ao amamentar? Foi de ajuda? Então o compartilhe em suas redes sociais para que outras mamães também o vejam!