TRABALHO DE PARTO: O GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO

0
1211
sinais do trabalho de parto
TRABALHO DE PARTO: O GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO
4.8 (95.24%) 21 votes

Após meses de espera e ansiedade, o momento tão aguardado finalmente está prestes a chegar. Depois de passar por inúmeras provações, é agora na fase final de sua gestação que você vivenciará a maior delas: o trabalho de parto.

Mas se lhe perguntassem quais são os sinais do trabalho de parto, você saberia responder? Por incrível que pareça, a maioria das mulheres não é capaz de dizer ao certo quando é que o trabalho de parto se inicia.

Isso acontece porque muitos dos primeiros sinais são vagos e facilmente mal interpretados, sem contar que o trabalho de parto não segue um roteiro definido.

No entanto, seu corpo começa a se preparar para o parto apresentando novos sintomas à medida que sua “data de vencimento” se aproxima.

Ficou interessada e quer saber mais? Então continue a leitura e veja absolutamente tudo o que você precisa saber sobre o trabalho de parto. Confira!

Sinais do trabalho de parto

Trabalho de parto - Contrações uterinas

Embora cada mulher possa apresentar sintomas diferentes em relação ao trabalho de parto, a seguir listamos os 4 sinais que indicam seriamente que o momento está chegando:

1. Contrações consistentes

Quando você começa a experimentar contrações uterinas regulares, há fortes indícios de que o trabalho de parto está se aproximando. Na hora em que isso acontecer, procure registrar o tempo exato das contrações assim como o intervalo entre as mesmas.

Essas contrações se assemelham à cólicas menstruais que vem e vão, mas é possível que você tenha dores na região lombar também. Vale ressaltar que contrações regulares antes de completar 37 semanas de gestação são tratadas como uma ameaça de parto prematuro.

As contrações durante o trabalho de parto prematuro normalmente respeitam um intervalo de 20 a 30 minutos entre uma e outra. Conforme os dias vão passando, a tendência é que elas ocorram em intervalos mais curtos, entre 10 a 15 minutos cada.

Quando o intervalo entre as contrações se aproximar dos 5 minutos, é hora de chamar o médico.

Para o melhor entendimento sobre as contrações do trabalho de parto, veja a seguir quais são suas características:

  • São regulares;
  • Seguem um padrão previsível (como a cada 10 minutos);
  • O intervalo de tempo vai diminuindo gradualmente;
  • As dores se tornam progressivamente mais fortes;
  • Uma mudança de postura não irá interromper ou aliviar as dores;
  • Seu tampão mucoso pode aparecer.

Cerca de 50% das mulheres que sofrem ameaça de parto prematuro acabam tendo o bebê após as 37 semanas de gestação. Desse modo, os pequeninos não são considerados prematuros. No Brasil, entre 10 a 12% dos bebês nascem prematuramente.

2. Perda do tampão mucoso

Durante a gravidez, o colo do útero permanece bloqueado por um fluído espesso e viscoso conhecido como tampão mucoso. Essa é a maneira que o seu organismo encontra para proteger o bebê de possíveis infecções.

Na medida que você se aproxima do trabalho de parto, o colo do útero começa a se preparar para a entrega do bebê, fazendo com que o tampão mucoso seja expelido.

Nesse processo pode ocorrer o rompimento de minúsculos vasos sanguíneos, o que resultará em um muco de aspecto rosado.

A partir de então, o trabalho de parto pode ser em horas, dias ou até mesmo semanas, mas este é um sinal que deve ser respeitado.

3. Rompimento da bolsa

O rompimento da bolsa (saco amniótico) é um sinal clássico e ocorre normalmente durante o trabalho de parto, porém, não considere como anormal se isso acontecer antes mesmo das contrações.

Quando você estiver pronta para dar à luz, a bolsa se romperá e o líquido amniótico será expelido para fora do corpo através da vagina.

Ao notar o vazamento do líquido, tente primeiramente determinar se ele cheira a urina ou se é inodoro. Se não parecer urina, é o líquido amniótico.

É importante compreender que o líquido amniótico tem a função de proteger o bebê, por isso, contate seu médico e se direcione à maternidade o quanto antes caso sua bolsa se rompa.

4. Fortes dores nas costas

Dores e pequenos desconfortos nas costas são condições normais da gravidez, e isso não é nenhuma novidade.

No entanto, se as dores forem muito fortes e estiverem próximas ao “prazo de validade” de sua gestação, prepare-se, pois um neném pode estar chegando.

Geralmente, o bebê faz o caminho até a saída com o rostinho pressionado contra a coluna da mãe. Contudo, em alguns casos ele pode descer com o crânio batendo na espinha, e o resultado: fortes dores que podem irradiar para o abdômen.

Essa é uma forte indicação de que o trabalho de parto de aproxima!

Quando devo procurar o médico?

É bem provável que você e seu médico já conversaram sobre quando você deve consultá-lo, certo? De qualquer modo, o contate se achar que estiver entrando em trabalho de parto, simples assim.

Mas antes, tenha em mão suas anotações para que você possa responder precisamente as perguntas que lhe serão feitas.

Em relação ao horário da ligação, não se preocupe, os médicos esperam telefonemas a qualquer hora pois sabem que o trabalho de parto não distingue o dia da noite.

Além disso, na maioria das vezes não será preciso correr ao hospital. Se essa for a sua primeira gravidez, você pode permanecer no aconchego do seu lar enquanto as contrações não chegarem a intervalos de 5 minutos.

Caso já tenha dado a luz, seu trabalho de parto pode ocorrer mais rapidamente, por isso, dirija-se à maternidade com mais antecedência.

E se a minha bolsa estourar?

Você já viu anteriormente que o rompimento da bolsa é um forte indicativo de trabalho de parto. Pois bem, se isso de fato lhe acontecer, procure primeiramente manter a calma.

Saiba que o estouro da bolsa em si só não quer dizer que o bebê irá nascer “aqui e agora”, mas é preciso prestar atenção as características do líquido amniótico.

Se ele for transparente, amarelado ou conter um pouco de sangue, arrume suas coisas e vá para o hospital, mas sem desespero. Porém, se junto do líquido amniótico você perceber uma secreção escura ou esverdeada, siga para a maternidade de imediato!

Essa ocorrência pode enunciar o deslocamento da placenta ou até mesmo o sofrimento fetal.

Estágios do trabalho de parto

O trabalho de parto é dividido em três estágios:

Estágio 1

O primeiro estágio do trabalho de parto é também classificado em três partes: latente, ativa e de transição.

A fase latente é a menos intensa, porém a mais longa. Aqui, as contrações ocorrem com maior frequência, favorecendo a dilatação do colo do útero (cerca de 3 a 4 centímetros).

As contrações iniciais costumam durar de 30 a 45 segundos, ficando separadas por intervalos de vários minutos. É geralmente nessa fase que as mulheres são internadas no hospital.

Na fase ativa, as dores se intensificam sendo possível sentir uma pressão nas costas a cada contração.

Já na última etapa do primeiro estágio, a fase de transição, seu colo do útero se dilata plenamente (10 centímetros). As contrações serão muito fortes e bastante frequentes, durando entre 60 a 90 segundos e com intervalos de 3 a 4 minutos.

Estágio 2

O segundo estágio do trabalho de parto tem início com a dilatação completa do colo do útero. Nesse ponto, você está pronta para “empurrar” o bebê. As contrações somadas ao seu empurrão o farão sair pelo canal do nascimento.

Durante essa fase do trabalho de parto é possível escolher diferentes posições. Você pode se agachar e empurrar o bebê para baixo ou permanecer deitada, como preferir.

Em termos de duração, esse estágio pode levar minutos ou horas. De acordo com os estudiosos do American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG), uma mulher que está em seu primeiro trabalho de parto deve dar à luz em dentro de 2 horas se não submetida à anestesia, e em até 3 horas caso receba.

Para uma gravidez subsequente, o tempo diminui para 2 horas se a anestesia tiver sido administrada e 1 hora se não utilizada.

Estágio 3

O terceiro estágio do trabalho de parto se dá após o nascimento do bebê, quando a placenta e as membranas fetais são expulsas do seu corpo.

Essa fase (também referida como pós-parto) geralmente dura entre 5 a 10 minutos, mas pode levar até 30. Além disso, pode ser que você experimente leves contrações, acompanhadas ou não por sangramento.

Vale destacar que cada mulher terá um trabalho de parto diferente, seja uma gravidez primária ou subsequente.

Posso ter contrações e mesmo assim não estar em trabalho de parto?

Sim, é possível que isso ocorra, o que caracterizaria o chamado trabalho de parto falso. Para esclarecer um pouco mais, confira a seguir as diferenças entre o trabalho de parto verdadeiro e falso:

Trabalho de parto verdadeiro

  • Contrações regulares e com um padrão previsível (a cada 10 minutos, por exemplo);
  • Você experimenta três tipos de progressão (contrações progressivamente mais próximas, mais longas e mais fortes);
  • As contrações são sentidas na região lombar e, em seguida, irradiam-se para a parte inferior da virilha;
  • Uma mudança de postura ou atividade não reduz as contrações;
  • Pode ocorrer a perda do tampão mucoso;
  • A bolsa pode estourar;
  • Haverá mudanças cervicais (notadas apenas pelo médico).

Trabalho de parto falso

  • Contrações irregulares e imprevisíveis (intervalos de 10 minutos, depois 6 minutos, 2 minutos, 8 minutos, etc);
  • Não há nenhuma progressão com o passar do tempo;
  • As contrações são sentidas como um desconforto (aperto) na região abdominal;
  • Uma mudança de postura ou atividade pode fazer com que as contrações diminuam ou parem;
  • Normalmente não há perda do tampão mucoso;
  • Não haverá o rompimento da bolsa;
  • Nenhuma alteração cervical ocorrerá.

Dicas e conselhos para o trabalho de parto

Dicas para o trabalho de parto

Bem, é evidente a preocupação das mulheres em relação às dores do trabalho de parto, o que não poderia ser diferente. Contudo, há algumas técnicas que visam diminuir o seu desconforto, e que na verdade se tornam habilidades para a vida como um todo.

A seguir, veja quais são essas técnicas e como se favorecer delas:

Respiração lenta

Proporciona o relaxamento e a concentração durante as contrações, mas pode (e deve) ser utilizada sempre que você estiver nervosa, ansiosa ou estressada.

Como fazer:

  1. Procure primeiramente relaxar seu corpo, feche os olhos e visualize algo bonito, que lhe agrade.
  2. Respire profundamente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca.
  3. Mantenha a respiração profunda e duas vezes mais lenta do que seu ritmo normal.
  4. Conte mentalmente “um, dois, três…” toda vez que você inalar ou soltar o ar, ou articule palavras tranquilizadoras durante a respiração, como “eu estou ficando calma”.

Você pode se beneficiar de uma respiração lenta e controlada para uma série de eventos ou circunstâncias.

Imaginação visual

Crie uma situação em sua mente que lhe traga paz, e que a ajude a permanecer calma e relaxada durante o trabalho de parto.

Como fazer:

  1. Feche os olhos e se imagine vivendo como nos seus melhores sonhos.
  2. Visualize o ambiente completo, imagine o cheiro, os sons e tudo o que lhe cause uma sensação positiva.
  3. Aprecie o momento e “faça de conta” que você realmente está vivenciando a situação.

Essa técnica pode ser usada não apenas para o trabalho de parto, mas para qualquer situação estressante, por exemplo.

Balanço da pélvis

O balanço da pélvis ajuda o bebê a se mover melhor, reduzindo assim o desconforto nas costas.

Como fazer:

  1. Deite-se de costas, flexione os joelhos e se apoie com a sola dos pés no chão.
  2. Balance a pélvis a direcionando para o seu rosto. Procure contrair a musculatura abdominal e deixe apenas uma pequena parte de suas costas sobre o chão.
  3. Agora balance a pélvis na direção contrária, relaxando sua musculatura. Mantenha as costas levemente arqueadas.
  4. Repita o procedimento quantas vezes achar necessário, sempre em movimentos lentos.

Embora seja possível praticar o balanço da pélvis em diversas posições, essa é a maneira mais fácil de aprender.

Ao utilizar desses métodos acima descritos, você perceberá o quão benéfico eles podem ser para inúmeras circunstâncias que nos deparamos no dia a dia.

E por fim, saiba que o trabalho de parto será uma combinação de emoção e apreensão. Lembre-se de manter a calma, peça ajuda ao seu parceiro e fique atenta aos seus sintomas.

Não esqueça de consultar o médico sempre que estiver em dúvida e, acima de tudo, tenha certeza de que você é capaz de suportar o trabalho de parto. Afinal, essa é a hora de trazer seu filho ao mundo!

Então, o que você achou do nosso artigo? Você já passou por um trabalho de parto? Conte sua experiência pra gente aqui nos comentários!