VANTAGENS E DESVANTAGENS DO USO DA CHUPETA

0
299
Vantagens e desvantagens do uso da chupeta
VANTAGENS E DESVANTAGENS DO USO DA CHUPETA
4.2 (84%) 5 votes

Um dos assuntos mais polêmicos entre as mamães por aí afora é a questão do uso da chupeta. A discussão em torno do tema é grande, até porque as opiniões sobre sua utilização são distintas inclusive entre os profissionais de saúde.

Mas se lhe perguntassem o seu ponto de vista, o que você diria? Saberia dizer quais são as vantagens e desvantagens desse utensílio?

Antes de mais nada, é importante ressaltar que a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomendam o uso da chupeta. De acordo com a presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP, Elsa Giugliani, as desvantagens da chupeta no curto e longo prazo não fazem valer as vantagens do seu uso.

De qualquer maneira, preparamos esse artigo que visa justamente esclarecer os benefícios e malefícios do uso da chupeta para os bebês. O assunto é extremamente relevante, por isso, continue a leitura e confira!

Vantagens da chupeta

Você por acaso sabia que os bebês já chupam o dedo mesmo antes de nascerem? Pois é, os pequeninos têm esse costume desde a época que ainda estavam no útero da mãe. Esse hábito de sugar proporciona uma sensação de bem-estar, contribuindo para o desenvolvimento emocional da criança.

É por isso que os bebês geralmente se acalmam quando chupam o bico artificial, sendo essa sua principal vantagem. A maioria das mães oferece o acessório unicamente com esse intuito, de fazer com que o neném fique mais calmo, especialmente para ajudá-lo a dormir.

Outra vantagem que a chupeta oferece é o alívio da dor. Muitos pais acabam recorrendo ao utensílio quando o bebê está com cólicas e não consegue se acalmar, por exemplo. O simples ato de sugar faz com que os batimentos cardíacos da criança fiquem mais regulares.

Vale mencionar também que a chupeta pode funcionar como uma espécie de treino para sucção no caso de bebês prematuros. É natural que os pequeninos que nasceram prematuramente possam ter dificuldades em pegar no bico do seio ou da mamadeira.

Desvantagens da chupeta

Problemas dentários

De acordo com a odontopediatra Karla Mayra Rezende, membro da Associação Brasileira de Odontopediatria, o uso da chupeta pode acarretar em problemas no desenvolvimento da arcada dentária.

“Quando o bebê permanece por longos períodos com a chupeta na boca, ocorrerá o desvio na linha de crescimento dos maxilares e a subida dos dentes, resultando na chamada mordida aberta“, afirma a especialista.

Como consequência da má formação dentária, a criança terá de usar aparelhos ortodônticos para corrigir a posição dos dentes. Se não for possível evitar o uso da chupeta por completo (o que é de fato difícil), procure utilizar o utensílio apenas como forma complementar à sucção (normalmente durante as sonecas do dia e no sono da noite).

Problemas na fala

O uso da chupeta pode atrapalhar também o desenvolvimento da linguagem. O acessório impede que os bebês façam certos tipos de som, prejudicando assim o processo do aprender a falar. Para amenizar esse problema, limite o uso da chupeta para os momentos do sono.

Otites

Outro problema relacionado ao uso prolongado da chupeta são as otites, mais conhecidas como dor de ouvido. As estatísticas indicam maior incidência dessa condição em bebês muito dependentes das chupetas, embora não se sabe exatamente o porquê dessa relação.

Mesmo assim, é preciso levar em consideração o que os números dizem. Os especialistas acreditam que o uso da chupeta contribui para as infecções da trompa de Eustáquio (caminho oco que conecta à gargante ao ouvido médio).

Além disso, as estatísticas também associam o acessório a um maior risco de outras infecções, que podem resultar em febre, diarreia, vômitos e cólica.

Prejuízos a amamentação

Embora haja muita discussão em torno da relação entre a chupeta e a amamentação, é importante destacar que o uso de bicos distintos (chupeta, mamadeira e seio) pode de fato prejudicar o aleitamento materno.

É importante ter em mente que o bebê precisa se adaptar primeiramente ao bico do peito da mãe. O pequenino deve aprender a sugar o mamilo e pressionar os depósitos de leite que se encontram sob a aréola da mama.

Quando a chupeta é apresentada logo nos primeiros dias de vida, a criança aprende a fazer a sucção utilizando somente os lábios. Desse modo, ao passar para o peito, ocorre a chamada “confusão de bicos“. O resultado: o bebê acaba se frustrando por sugar sem efeito e como consequência se cansa e para de estimular a descida do leite. A mãe, por sua vez, acha que não está produzindo leite suficiente e então recorre à mamadeira, iniciando a interrupção da amamentação.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso diário da chupeta está relacionado ao desmame precoce, antes mesmo dos três meses de vida. O Ministério da Saúde recomenda que até os seis meses os bebês tenham apenas o bico dos seios, o que fortalece a chamada amamentação exclusiva. Assim, os pequeninos podem receber todos os benefícios do leite materno.

Dando tchau à chupeta

O hábito de usar a chupeta deve ser abandonado (por completo) quando a criança estiver completando dois anos de vida. O ideal é diminuir o tempo de uso de maneira gradativa, a partir do primeiro ano de vida, período no qual os primeiros dentinhos começam a nascer.

Evite cortar o uso da chupeta de uma hora para outra, isso certamente fará com que o bebê tenha momentos de insatisfação e fúria. Conforme mencionamos no início do artigo, o bico artificial o ajuda a relaxar. Entenda que esse acessório é uma espécie de tranquilizador, que gera um bem-estar na criança.

Tente restringir a chupeta para as situações mais críticas do dia, como na hora do sono, das sonecas da tarde ou quando seu filho estiver doentinho, por exemplo.

E então, o que você achou do nosso artigo? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Fale pra gente aqui nos comentários!